Testemunho

Santuário Nossa Senhora do Carmo
Vitória no amor e no profissional
30/12/2017
Curitiba
No Natal de 2011 comecei a namorar minha esposa, a qual é da comunidade do Carmo. Já eu pertencia a comunidade Santa Ana e São Francisco, que fica no bairro Fazendinha, contudo não era um membro muito ativo.
Em pouco tempo comecei a ir no santuário com minha namorada e acompanhar as novenas.
Após poucas visitas ao santuário, minha mãe em um ato desarrazoado me expulsou de casa, na véspera do dia das mães de 2012. Ela havia se afastado da nossa fé católica e não aceitava o meu namoro. Graças ao bom Deus, minha madrinha me acolheu em sua casa e me ajudou psicologicamente e financeiramente.
Em menos de um mês após ser expulso de casa, perdi meu estágio na justiça federal.
Eu não tinha nenhuma perspectiva profissional, estava no 6º Período de Direito na Pontifícia Universidade Católica do Paraná e mesmo sendo empenhado, não conseguia nenhum trabalho ou estágio.
Pensei em muitas coisas e voltei a estudar para o vestibular da universidade federal, iria abandonar o direito e tentar entrar no curso de formação de oficiais da Polícia Militar. Eu conhecia bem essa área, pois já havia sido aprovado nesse curso, contudo não havia concluído a academia militar.
Então, alguém - que não recordo - comentou do Cerco de Jericó. Entrei em contato com o Santuário e perguntei quando iniciaria o próximo, o que se daria na mesma semana.
O tema do Cerco de Jericó era Nossa Senhora Desatadora dos Nós. Eu supliquei a intervenção de Nossa Senhora para que me mostrasse o caminho a ser seguido, independente de qual fosse.
No começo do Cerco fui chamado para um estágio no Ministério Público, no qual atenderia adolescentes em conflito com a lei. Em menos de quinze dias era a 1ª prova para tentar voltar para a Polícia Militar. Naquela semana, antes da prova, fui convocado pelo Tribunal de Justiça do Paraná a fazer um termo de opção para ser nomeado em concurso que fiz em 2009. Escolhi Almirante Tamandaré, contudo após o protocolo, voltei e alterei para Colombo. No final de semana fui aprovado na 1ª prova da polícia.
Duas semanas passaram e continuei participando do Cerco de Jericó, às vezes ia à noite e outras vezes na hora do almoço, a segunda prova para a polícia seria no domingo e na tarde daquela sexta-feira fui nomeado servidor do Tribunal de Justiça do Paraná, devendo apenas fazer os exames médicos, isso foi no final de novembro. Ainda sim fui fazer a 2ª prova e também fui aprovado.
Deus Pai Todo Poderoso, por intervenção de Nossa Senhora, me duas opções de caminhos a seguir.
Surgiram dúvidas e medos, rezei e pedi para que seguisse o caminho que fizesse o maior bem para a sociedade.
Optei por entrar no TJ e concluir minha faculdade de direito.
Desde o primeiro ato de contrição da primeira missa até a última volta do Santíssimo no último dia do Cerco, eu chorei todas as lágrimas e todas as dores que sentia. Cada vez que o sacerdote rezava o salmo 23 eu chorava a ponto de soluçar. Agora, ao escrever esse testemunho, lágrimas escorrem dos meus olhos, ao lembrar de todas as dificuldades que passei naqueles longos seis meses.
Em nenhum momento duvidei da bondade do Nosso Senhor, pelo contrário, entreguei minha vida e minhas habilidades em Suas Mãos, pois como diz o Salmo 27 "ainda que meu pai e minha mãe me abandonem, o SENHOR me acolherá".
Sempre me destaquei pela minha inteligência e coragem, mas estava caído. Deus me fez forte para lutar novamente e poder honrar a missão que me confiou.
Do desemprego passei a um cargo público, me formei, me especializei e minha renda multiplicou-se.
Comecei no tribunal trabalhando em uma vara criminal, hoje sou chefe de uma unidade fazendária que entre diversas atribuições tem como objetivo garantir tratamentos médicos para aquelas pessoas necessitadas que buscam a justiça para tentar salvar suas vidas, além disso tento recuperar dinheiro desviado por políticos ímpios que estão roubando do povo.
Recebi propostas para me corromper, tive uma oferta inclusive de um ex-colega de trabalho, fui tentado e graças a Deus, graças a Jesus nosso Salvador e ao Espírito Santo permaneci honesto e denunciei as autoridades competentes inclusive a quem um dia chamei de amigo.
Em cinco anos já sinto um pouco de cansaço dessa missão, de lutar contra o mal e a perfídia que as pessoas inescrupulosas causam, mas sei que Deus e Nossa Senhora não permitiram que eu falhe e sempre estarão ao meu lado.
Tenho receio de sofrer represálias em virtude do meu trabalho, mas como dito pelo Rei Davi no salmo 91 “Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel.”
Minha namorada se tornou minha esposa, casamos na Igreja, hoje temos um filho que irá completar um ano em janeiro, o qual nos acompanha nas novenas e missas.
Continuo frequentando o Santuário, continuo estudando o direito e tudo que possa agregar algo para a minha existência e que possa ser útil para ajudar os outros.
Sei que estou longe de ser digno do Reino dos Céus, pois nesses meus 28 anos de existência já cometi diversos erros. Entretanto, vou lutar para honrar a graça dada por Deus e ei de conseguir alçar voos mais alto e um dia poder ser um juiz a serviço de Deus.
De um devoto agradecido.
"A limine pro Deo"